Traçando a Gostosinha Viciada Em Cacete

Esse é mais um de nossos contos eroticos reais onde rolou uma transa gostosa e claro foi toda narrada. A galera vai ver que o empresário sacana se deu bem com sua nova estagiária.

Dias atrás ao reencontrar uma amiga e amante das antigas, me veio várias recordações de alguns momentos que juntos vivemos e que eu resolvi compartilhar um (o nosso primeiro) com vocês.

Eu tinha trinta anos na época e trabalhava numa grande empresa de contabilidade quando numa segunda feira, meu patrão chega até à sala em que eu ficava, acompanhado de uma mulher linda, bem vestida e bastante cheirosa, que em seguida me apresentou (chama-se Rayssa) e em seguida me falou que ela fora contratada pela empresa para fazer um estágio e ficaria comigo na minha sala aprendendo o que fosse necessário para o bom desempenho de suas funções visando uma efetivação futura. Eu a cumprimentei, disse para que fosse bem vinda e me pus a disposição dela para ensinar-lhe o que deveria.

Em seguida meu patrão saiu da sala nos deixando e eu aproveitei para puxar uma cadeira para ela e coloca-la do meu lado. Conversa vai, conversa vem, comecei a orientá-la quanto ao trabalho e aos poucos fomos nos conhecendo um pouco mais falando de nossa vida pessoal. Sempre que ela levantava para pegar algo ou ir ao banheiro, meu cacete dava salto de alegria embaixo da calça quando eu a via no vestidinho que usava e deixava parte de suas pernas e a bundinha arrebitadinha e os contornos dos seus seios à mostra. Eu fiquei com um tesão danado e já articulava uma maneira de levá-la para a cama na primeira oportunidade que eu tivesse, mas sabia que tinha de me conter para não assustá-la e assim fiz. No final de expediente à tarde, acompanhei-a até o ponto de ônibus onde ficamos à conversar até ela (que morava noutro bairro) embarcar e seguir viagem, quando então eu segui para minha casa. Já em casa me despi e fui tomar banho e com a água caindo sobre o meu corpo e eu pensando naquela gostosa, vi meu cacete endurecendo de tesão e não resistindo me aliviei tocando uma deliciosa punheta e gozando e dizendo que o leitinho que eu jorrava era para ela Rayssa.

Aliviado, terminei meu banho e fui fazer meus afazeres da casa e preparar algo para comer. Fui dormir pensando nela e não via a hora do dia amanhecer para vê-la novamente. No dia seguinte quando cheguei ao escritório, lá estava ela ainda mais linda que no dia anterior, desta vez com uma blusinha de decote moderado e saia jeans. Não pude deixar de olhar e elogiá-la (estava muito sexy, sem ser vulgar),cumprimentando-a em seguida com dois beijinhos no rosto que ela correspondeu. Antes de iniciarmos nosso trabalho, fomos até a cozinha, tomamos um café e retornarmos para a nossa sala iniciando nossas atividades, o que se repetiu nos dias seguintes (quarta, quinta e sexta) com ela que era bem inteligente se saindo muito bem já na sua primeira semana. Na sexta feira após sairmos do escritório, como sempre fui deixa-la no ponto e antes dela embarcar disse que eu era um parceiro de trabalho muito legal e despediu-se me desejando um maravilhoso final de semana e me dando um selinho que disse eu ter merecido, entrando na condução em seguida antes que eu falasse algo. Sentou-se ao lado da janela e quando a condução partiu ficou a me olhar, deu um tchawzinho e jogou um beijo fazendo um gesto com a mão.

Fui para casa feliz e já acreditando que não tardaria para conseguir o meu intento que era transar gostoso com ela, mas continuava convicto que teria de saber o momento certo para avançar sem prejudicar o nosso relacionamento no trabalho caso não desse certo. Passei meu final de semana como sempre me divertindo junto de amigos e amigas, mas vez ou outra pensava na minha doce Rayssa e não via a hora de reencontrá-la na segunda feira, que chegou como que num piscar de olhos. Como aconteceu na primeira semana, cheguei ao trabalho e ela já estava como sempre, linda, bem vestida e muito cheirosinha. Não hesitei em elogiá-la e ela sorrindo agradeceu, disse que assim eu a deixava sem graça e me elogiou também dizendo que eu estava um gatão, sorrindo em seguida. Demos inicio as nossas tarefas e no decorrer do expediente nossos olhares se cruzavam cada vez mais e era notório que já havia algo mais que a admiração e respeito um pelo outro, mas nos contínhamos e não comentávamos sobre o que vinha ocorrendo. Era um adorável tormento e assim foi a semana inteira, até que na sexta feira enquanto almoçávamos na empresa, resolvi arriscar convidando-a para me acompanhar numa festa de aniversário de um amigo que iria acontecer no sábado a noite. Ela ficou pensativa e disse que quando a levasse no ponto me daria a resposta. Fiquei meio que decepcionado, mas nada falei, apenas sorri e disse que esperaria então, torcendo em pensamento para que ela aceitasse. Almoço terminado, voltamos para a nossa sala e reiniciamos nosso trabalho.

Eu torcia para que chegasse logo o final do expediente o que não demorou e quando íamos saindo, nosso patrão veio até nós e me perguntou como ela estava se saindo. Nem precisei mentir e disse que perfeita, aprendendo com facilidade suas funções. Ele sorriu e disse que tudo perfeito então, nos desejando um bom fim de semana e retornando para a sala dele. Acompanhei-a até o ponto na expectativa da resposta e lá enquanto esperávamos o ônibus encostar para que ela pudesse entrar, me olhou fixamente e disse que depois de muito pensar no convite que fiz, resolveu aceitar, me dando um selinho em seguida e passando a conversar sobre os detalhes para a festa. Como ela morava noutro bairro e provavelmente não teria condução para ela retornar, perguntei-a se haveria problema se quando saíssem da festa ela ficasse em minha casa e ela sem hesitar disse que não, pois confiava em mim e sabia que eu não faria nada que ela não permitisse. Disse-lhe que quanto a isso ficasse tranquila, pois jamais aconteceria. Neste instante a condução encostou e antes dela entrar me deu um outro selinho e disse que iria torcer para que chegasse logo a hora de nos encontrarmos no dia seguinte, o que eu também desejava muito. Já no sábado a tarde, por volta das sete da noite, fui espera-la no ponto e logo que o ônibus chegou, ela desce ainda mais linda, toda produzida, num vestidinho pretinho básico, muito sexy, que deixava bem a mostra suas belas pernas e os contornos de seu corpinho perfeito. Meu cacete endureceu na hora e acho que ela percebeu quando a cumprimentei abraçando-a e dando um selinho antes de elogiá-la.

Como ainda era cedo para irmos para a festa, sugeri que parássemos antes num barzinho e bebêssemos umas cervejinhas. Ela aceitou e assim fizemos até por volta das nove da noite quando então seguimos para a festa que ficava próxima de onde estávamos. Quando cheguei com ela, as atenções de muitos voltaram-se para nós, afinal, ela estava de arrasar mesmo e chamava muito a atenção de todos, tanto de homens, quanto de mulheres, com meus amigos se chegando até nós, perguntando se eu não apresentaria a minha gata e com respeito elogiando-a. Era notório o desejo nos olhos deles, mas eu sabia que sem alguém tivesse de transar com ela naquela noite, este alguém seria eu, já que era na minha casa que ela dormiria. Ao avistar o meu amigo aniversariante, apresentei-a e depois passamos a curtir a festa, nos divertindo bebendo, comendo e dançando muito, sob os olhares de muitos ali presentes. Por volta de uma hora ela (já de pilequezinho) me chamou para irmos embora e continuarmos a festa em minha casa. Não precisou repetir de novo, nos despedimos de algumas pessoas e do aniversariante, e seguimos rapidamente pra minha casa. Durante o trajeto aconteceu o nosso primeiro de muitos beijos na boca, cada qual mais caliente que o anterior e assim chegamos na minha casa, aos beijos, abraços, carinhos e caricias, num sinal de que sabíamos muito bem o que queríamos e não demorou para acontecer, pois em minutos já estávamos totalmente pelados com nossos corpos nus e nossos sexos, tocando-se um no outro enquanto abraçados nos beijávamos, mas antes de irmos para a cama, passamos a transar ali mesmo na poltrona da sala, com ela passando a me chupar o cacete por alguns minutos, me fazendo gemer de tanto prazer que eu sentia sentindo a boquinha dela envolvendo-o e sua língua percorrendo por toda extensão dele. Ela chupava com muita desenvoltura e maestria brincando com ele na boca e me olhando fixamente nos olhos.

Depois foi a minha vez de retribuir-lhe, caindo de boca naquela bucetinha linda e totalmente depiladinha dela, percorrendo toda rachinha com minha língua, mordiscando-a de leve no grelinho, beijando-a, chupando-a e sugando-a, provando o gostinho do melzinho dela que não parava de escorrer tamanha a excitação que ela se encontrava. Logo entre muitos gemidos, pediu-me para penetrá-la, mas antes resolvi brincar um pouco com a minha pica nos seios dela, que continuava a me olhar e dizer que gostara e me desejara desde o dia que me conheceu. Eu disse que senti o mesmo por ela e só não tentei nada antes temendo que nossa relação profissional fosse abalada, mas sempre a desejei também. Nisso nos beijamos e eu então passei a penetrá-la na bucetinha que de tão molhada que estava recebeu até com certa facilidade o meu cacete (que ela disse ser grande e grosso e nunca ter experimentado um assim) dentro dela.

Meti gostoso naquela xota por uma meia hora fazendo-a gemer, gritar, me xingar e pedir muito para fodê-la sem parar, enquanto tinha vários espasmos seguido de orgasmos que encharcavam o meu cacete dentro dela. Logo eu vi que não tardaria para gozar também e disse com certo receio, que queria meter no cuzinho dela, achando que ela não deixaria, mas para minha surpresa ela disse que ia adorar me receber no buraquinho dela e já foi ficando de quatro, pedindo para que eu a penetrasse e dizendo que adorava dar o cuzinho e gozar sentindo um misto de dor e prazer. Logo que passei a entrar e sair com meu cacete naquele orifício, ela passou a gemer alto e dizer que eu estava arrombando-a, para em seguida gritar que estava gozando gostoso e para mim não parar de bombear a minha pica no cuzinho dela. Vendo-a naquele estado de êxtase, não consegui me segurar e disse que iria inundar aquele buraquinho com minha porra, mas ela disse que queria o meu leitinho na boquinha dela e rapidamente se posicionou frente a mim passando a me punhetar até que enchi a boca dela com jatos e jatos do meu leitinho, que ela fez questão de me mostrar dentro da boca dela, antes de engolir tudinho. Exaustos com a gozada que demos, recostamos na poltrona e ficamos ali abraçadinhos sem nada falarmos, apenas nos olhando e nos curtindo com carinhos e muitos beijos, até que uns dez minutos depois fomos tomar banho juntinhos e em seguida fomos para cama, onde mesmo excitados novamente, resolvemos dormir para repormos nossas energias e pela manhã quando acordássemos voltássemos a brincar e gozar muito novamente.

Em minutos apagamos abraçadinhos e pela manhã quando despertamos transamos novamente antes que ela retornasse para a casa dela. Levei-a no ponto e ao nos despedirmos com um beijão na boca, eu disse que a queria muito mais vezes comigo e ela disse que ia adorar se relacionar comigo e pediu para mantermos em segredo nosso envolvimento, principalmente no trabalho, me beijando e me dando um até amanhã quando então nos encontraríamos no trabalho. Voltei para casa feliz e ao reencontrá-la pela manhã no escritório, a não ser um rápido selinho que demos, trabalhamos com naturalidade e profissionalismo até para não chamarmos atenção dos demais companheiros de serviço. No fim do expediente já próximo do ponto de ônibus e bem distante da empresa, foi que nos abraçamos e nos beijando antes dela ir para a casa dela. Assim seguiram-se os dias com nosso relacionando em segredo e conosco ficando juntos somente nos finais de semana, de sexta para sábado e sábado para domingo em minha casa. Acabamos engrenando um namoro sério, ela foi efetivada na empresa e só fomos descobertos por nossos colegas de trabalho, quatro meses depois, quando fomos surpreendidos por um deles quando estávamos aos beijos no cinema, mas sempre soubemos separar a nossa vida pessoal da profissional e engrenamos um namoro firme que durou quase dois anos, até que ela prestou exames, passou para uma faculdade federal e mudou-se para Juiz de Fora, onde estudaria. De vez em quando vem em Angra e temos oportunidades, ainda ficamos e matamos saudades das nossas transas deliciosas, mas é só isso, pois resolvemos cada qual seguir com sua vida, mantendo apenas a amizade e as belas recordações do nosso envolvimento. Gostaram? Então não deixem de votar e comentar. Conto com vocês e podem aguardar que em breve publicarei novos relatos verídicos.

conto-01

conto-02

conto-03

conto-04

Relacionados

1 comentário para “Contos Eroticos Reais – Fodeu a Estagiária Novinha Gostosa

  1. Dotado Safado • 20 de Fevereiro de 2017

    ótimo conto..sempre que leio fico puto de tesão e com vontade de conhecer esse tipo de mulher safada, as vezes sendo uma evangélica, mãe, dona de casa..crente..comprometida enfim mulher que gosta de ser bem fodida, ou tenha fantasias e desejos mesmo que as vezes não tenha coragem pra falar mais morre de desejo,quero até mesmo ajuda-la a perder a timidez e mostrar todo desejo e vontade reprimida. quem sabe ajudando a conhecer esses desejos e vontades…
    Wts47.99212.6411

Deixe seu comentário

O Maior, Melhor e rápido site de fotos amadoras do Mundo! Contos eróticos, fotos de novinhas, fotos de casadas e coroas gostosas sempre selecionadas a dedo. Para quem curte contos eróticos com fotos, fotos de amadoras gostosas, mulheres nuas e várias outras gostosas peladas, temos sempre o melhor conteúdo atualizado diariamente! Baixe fotos de gostosas, fotos de casais, imagens de sexo, quadrinhos porno, animes pornos, fotos porno e muito mais aqui em nosso site!


© 2017 - Fotos Amadoras – Imagens De Sexo Caseiro – Fotos Amadoras de Novinhas