Contos eróticos de cornas

Fiz sexo com mulher e acabei apimentando nosso casamento que se tornou ainda mais quente e gostoso na cama.

Esse conto aconteceu em 2014 quando eu e meu marido estávamos em começo de crise no nosso casamento. Somos um casal jovem e atraente casados a 8 anos e temos uma filha linda. Apesar de nossa filha ser uma benção foi exatamente quando ela nasceu que nossa vida amorosa deu uma esfriada. Cuidar da nossa filha, casa, ir na academia para manter o corpo e além de tudo trabalhar acabou nos deixando exaustos.

Não chegamos a uma crise mas estávamos caminhando para uma quando aconteceu este conto e deu uma virada positiva para nós. Sempre me senti atraída ele porém ele sempre foi mais fogoso. Por min a gente transava uma ou duas vezes por semana porém homem é homem né e parece que quer sempre e sempre. Certa noite nossa filha fica com meus pais. Isso foi em uma sexta feira e sábado era feriado prolongando com o domingo. Com essa folga, alugamos um chalé em uma cidade vizinha para relaxarmos.

Não tínhamos nada em mente a não ser esfriar a cabeça por causa do cansaço do dia a dia. Chegando no local era um chalé nem simples mas convidativo e afastado. Eram apenas três chalés sendo que um estava vazio. Já chegamos e nos ajeitamos com uma paz e tranquilidade que queríamos a muito. Tomamos banho e fomos a um quiosque ali perto. La conhecemos Tânia que era a hóspede do outro chalé.

Era jovem e bonita e estava lá para cuidar do chalé que ela estava que era de um casal de amigos. Eles alugavam lá e como não tinha ninguém interessado no chalé eles emprestaram para Tânia passar o fim de semana e cuidar dele. Rapidamente nos enturmamos e ficamos os três conversando até a noite e seguimos cada um para seu chalé. Reparei que meu marido olhava discretamente para ela mas não liguei para isso por ser coisa de homem. Naquela noite eu e meu esposo tivemos uma foda ” rapidinha ” e dormimos.

No outo dia cedo tomamos café e fomos passear pela cidade. Passeamos, conhecemos alguns lugares e almoçamos por ali mesmo. A tarde voltamos para o chalé e encontramos nossa nova amiga. Marcamos de nos encontrar mais a tarde, igual na noite anterior e ela topou. Quando ela saia para seus aposentos novamente vejo meu marido a fitando por trás. Ela é gostosinha né perguntei ironicamente. Ele disse que sim num tom sem graça e desconversou. Agora nós é quem fomos para nosso chalé.

Jantamos e demos um tempinho e decidimos então ir caminhar. Chegando no local Tânia já estava no local bem atraente. Não achei legal ela se produzir daquele jeito. Não iriamos sair, era só nós três mas tudo bem. Começamos a beber um pouco e jogar conversa fora. Em um certo momento flagrei uma troca de olhares entre os dois. Nesse momento veio na minha cabeça uma curiosidade que eu sempre tive que era ter um ménage feminino, chupar uma bucetinha e ser chupada por uma mulher mexia com minhas imaginações.

Ela disse que eu tinha que reacender a chama, me reinventar que no sexo vale tudo. Na hora pensei que este fim de semana poderia acender a chama antes mesmo que uma crise começasse. Se não fosse ali, nós voltaríamos pra casa e logo a rotina tomaria nosso tempo e iria piorar a situação. Disposta a fazer algo comecei a jogar. Direcionei o assunto para sexo cuidadosamente para não espantar ninguém. Devagar o assunto já estava bem picante do jeito que eu queria. Os dois estavam envolvidos na conversa e tudo de forma sutil.

Finalmente meu primeiro menage feminino

Ela estava na defensiva mas dava pra ver que estava disposta algo mais além da conversa. Em um momento o celular dela toca e ela pede licença e sai para atender. Meu maridão me olha desconfiado e pergunta o que eu pretendia. Disse a ele que iria apimentar nossa relação para termos um final de semana daqueles. Disse que se for bom depois nós procuraríamos um gostosão para mim e ai que quase desanda tudo.

Ele em um ataque de ciúmes disse que eu estava fazendo aquilo pra depois poder trair ele sem culpa e tal. Discutimos baixo e disse que essa não era minha intenção e que depois discutíamos aquilo. Tânia volta e meu marido estava visivelmente chateado. Voltamos a conversar e fui empurrando ela pra cima dele sem ela perceber para ver se ele esquecia a discussão e se animava. Sempre que o Whisky dele chegava perto do fim eu enchia até a metade para ele beber mais e se soltar. Graças a Deus o sacana esqueceu um pouco e já estava mais no clima mesmo que mais devagar. Comecei a beijar o safado com mais frequência na frente dela para ver como ela reagia e vi que ela olhava e ficava levemente constrangida.

Pra resolver isso, propus um jogo: Perguntei se ela já tinha beijado alguém dividindo uma bala passando de uma boca a outra através de beijo. Tirei uma bala da bolsa e dei um grande e molhado beijo no Maicon na frente dele com minha mão em sua calça. Logo vi a forma intensa que ela olhou e perguntei se ela gostava de beijar assim. Ela disse que sim mas que o ficante dela era meio devagar. Pedi para ela fechar os olhos e abrir a boca. Ela riu perguntando o motivo mas deveria imaginar alguma sacanagem.

Pedi de novo para ela fechar os olhos e abrir a boca que logo ela saberia. Ela fechou sem fazer drama e nesse momento falei pro sortudo:

– vai com tudo, beija ela.

Ela ficou totalmente envolvida com beijo. Quando eles terminaram eu disse:

– Com quem ficou a bala é quem eu vou beijar. Essa é a regra. Me virei para ela e na sua direção e parei bem perto frente a frente. Ela abriu a boca com a língua pra fora mostrando a bala e disse:

– Regras são regras né? Não deu outra, parti pra cima e nos beijamos. Nisso já sinto encochada por trás e me puxa para um beijo e ali já sacamos que a noite prometia e fomos pro quarto. Lá a sacanagem rolou solta. Ele pediu para ficar um certo tempo assistindo eu e nossa amiga se divertindo. Totalmente entregues ao desejo nos abraçamos e começamos a nos beijar e quando percebi já estava deitada na cama com a safada por cima de mim. Ela foi descendo beijando meu pescoço e logo estava dando uma mamada gostoso em meus peitos. Dava pra sentir sua sede por sexo em suas chupadas.

Depois de um certo tempo ela foi descendo mordendo minha barriga oque de meu calafrios. Nunca tinha sido chupada por uma mulher e quando senti seus lábios em minha bucetinha acabei me arrepiando toda. Quando olho pro lado está meu esposo com caralho duro nas mãos nos observando com cara de safado. Ao sentir que ele estava gostando de ver aquela cena me entreguei por completo a safada. Ela ficou por uns 5 minutos me chupando e logo tomei as rédias por queria chupa-la. Estava louca de desejos e decidi então matar uma velha curiosidade que eu sempre tive maus nunca tive coragem de realizar.

Cai de boca naquela pepeka passando primeiro a língua de leve nela e logo cheguei no clitóris e comecei a literalmente mamar gostoso. Nossa amiga se contorcia e gemia muito mostrando que estava adorando. Apertava seus peitos com as mãos enquanto ia chupando toda sua bucetinha. Em um certo momento meu maridão se aproxima e diz:

– Agora é minha vez, venha m aqui vem safadas!

Fizemos uma bela chupeta pra ele e sempre que nossas bocas dava uma leve encostada nos beijávamos.

O taradão já colocou a puta de quatro na cama e começou a fode-la gostoso na minha frente. Ele então deu a ordem:

– Abre as pernas que quero vê-la te chupando enquanto a pego por trás!

Nem pensei duas vezes e me deitei com as pernas abertas na cara da vadia que começou a me chupar gostoso. Ela gemia gostoso e ali acabei indo nas nuvens sendo chupada e vendo meu marido fodendo a vadia na minha frente. Depois eu me posicionei em um 69 com ela. Eu estava por baixo vendo o caralho entrando e saindo enquanto ela me chupava. Confesso que nessa hora senti um misto de prazer e ciúmes porém queria que aquilo tudo continuasse. Ficamos nisso por alguns minutos e logo o puto me mandou ficar de quatro na cama pois agora seria minha vez de ser fodida e chupar nossa putinha.

Ali de quatro sentindo o caralho invadindo minha buceta enquanto eu chupava outra. Aquilo me deixou louca de desejos sentindo algo que me fez ficar arrepiada. Mudamos um pouco nossas posições e sentei na rola dura pra cavalgar. Tânia se ajoelhou por cima dela com sua boceta na boca dele ficando de frente pra mim. Eu cavalgava bem devagar enquanto o safado me fodia e chupava a taradinha. Logo depois começamos a nos beijar e meu marido foi saindo devagar passando a novamente nos observar nuas se chupando. Ele por um momento se aproximou de mim e disse no meu ouvido:

– Você é cem vezes mais gostosa do que ela!

Aquilo me deixou com ainda mais tesão e como eu queria saber a sensação de como seria chupar uma bucetinha gozando cai novamente de boca naquela xoxotinha.

A chupei gostoso passando a língua em seu grelinho, lambia, mamava, mordia de leve e não deu outra. Com um urro de desejos a safada deu uma gozada intensa apertando meu rosto entre suas pernas. Por alguns segundos ela se contorcia bolinando de leve seu clitóris curtindo sua gozada. Logo depois foi minha vez de me deitar com as pernas abertas para que pudesse ser chupada. A vagabunda tinha muita habilidade e cheia de tesão não me segurei e pela primeira vez na vida acabei gozando na boca de outra mulher.

Eu sabia que meu esposo precisava gozar e sem falar nada, peguei na mão da safada e fomos o chupar nós duas juntas. Mamamos gostoso aquele cacete até meu marido anunciar seu gozo e nesse momento o mandei dar uma gozada na cara da vadia pois ele sempre quis isso e eu confesso que não curto muito a ideia. Foi demais ver aquela porra toda sendo jorrada do cacete do meu marido enquanto eu acariciava suas bolas. Depois de todos gozarmos ficamos na cama por um tempo e logo todos tomando um banho quente e ficamos deitados na cama apenas nos recompondo de tudo oque tinha acontecido.

A tarde acabamos pegando a estrada e antes disso pegamos o telefone de nossa nova amiguinha de ménage. Em casa conversamos sobre o ocorrido e disse que eu não queria outro homem. Disse que nossa relação sexual não estava boa e eu sempre tive a curiosidade de estar com outra mulher na cama. Falei pra ele que fazia parte do meu fetiche saber como seria chupar outra mulher e ser chupada por ela e com tempo acabei querendo também saber como seria um sexo a três com eu, ele e mais uma. Falei para que ele ficasse tranquilo pois nunca passou por minha cabeça ficar com outro homem na frente dele.

Meu desejo ou curiosidade era realmente saber como seria chupar e ser chupada por uma mulher. E da forma que aconteceu foi ainda melhor pois me senti satisfeita onde fiz sexo com mulher e consegui satisfaze-lo também. Nunca mais repetimos o acorrido e não fiz sexo com mulher porém nossas relações sexuais acabaram se tornando melhores e mais apimentadas. Vira que mexe em nossas transas acabamos falando de ocasiões onde fantasiamos mais um sexo comigo, ele e mais uma mulher na cama. Em algumas vezes até fantasiamos ele e mais outro homem me fodendo juntos. Não em todas nossas transas mais vira que mexe estamos fantasiando uma putaria com outra mulher ou outro homem.

Hoje depois de quatro anos que fiz sexo com mulher e meu marido estamos ainda melhores em nossa relação. Não sinto mais vontade de ficar com outra mulher ou ter a primeira vez com outro homem. Meu marido também já confidenciou que não sente vontade de estar com outra mulher pois tudo oque ele queria em uma mulher eu acabei me tornando. Hoje transamos duas ou três vezes por semana porém a intensidade de nossas transas nos satisfazem e estamos bem melhores que antes.

Relacionados

2 comentários para “Fiz sexo com mulher e meu marido e apimentei meu casamento

  1. Álvaro Vidal • 2 de março de 2019

    Fuder com mulher casada é muito gostoso gostaria de comer uma casada quem gosta da aventura é só me chamar

  2. Malvadesa • 20 de março de 2019

    Sou casado adorei

Deixe seu comentário

© 2019 - Fotos Amadoras – Fotos De Sexo Caseiro – Sexo Em Quadrinhos – Contos De Sexo